Logotipo NAU

Agenda


« April 2014 »
Mo Tu We Th Fr Sa Su
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30        
RSS

Arquivos por data

GESD – Grupo de Estudos Surdos e da Deficiência

Desde 2001, em sintonia com o processo histórico-social que levou ao reconhecimento jurídico da língua brasileira de sinais (libras) como meio legal de comunicação e expressão (Lei Federal 10.436/2002), o Núcleo de Antropologia Urbana da USP desenvolve pesquisas no âmbito da surdez e língua de sinais, com a intenção de compreender a elaboração da surdez como particularidade étnico-lingüística, algo desenhado no Brasil em domínios acadêmicos, religiosos e políticos. Mais recentemente, em 2011, em uma nova re-estruturação do NAU, foi fundado o  Grupo de Estudos Surdos e da Deficiência (GESD), que tem por intenção ampliar as investigações relativas à surdez, tomando por objeto questões referentes ao tema da deficiência em geral. De maneira semelhante às pesquisas vinculadas à surdez/língua de sinais, temos por objetivo compreender a formulação das deficiências no modelo social, a saber, o processo político que tem levado a uma crescente despatologização/desmedicalização do tema e sua elaboração como expressão da diversidade humana. Com a intenção de analisar esse fenômeno o universo que compõe as investigações é bastante diversificado, sendo composto, sobretudo, por domínios empíricos nos quais as deficiências entram como questões e pautas constitutivas. Visa-se etnografar e analisar redes de sociabilidade, lazer e esporte; circuitos formados por instituições especializadas (escolas, associações e igrejas); territórios apropriados por grupos específicos com deficiência; formas de associativismo político; controvérsias públicas sobre o tema; produção de disciplinas corporais, categorias identitárias e normatividades jurídicas; processos de medicalização e desmedicalização; o mercado vinculado ao tema e, por fim, o cruzamento da deficiência com outros marcadores de diferença (gênero, raça, orientação sexual, geração). Importante considerar que a pesquisa de campo de caráter etnográfico constitui o método privilegiado do grupo, o que tem sido complementado com a análise de documentos históricos.

Email para contato: gesd.nau@gmail.com

Membros:

César Augusto de Assis Silva (Coordenador – Pós-doutorando CEBRAP)
Andrea Cavalheiro (Doutoranda em Antropologia Social – USP)
Ivo Dias Alves (Mestrando em Educação e Saúde – UNIFESP)
Cibele Barbalho Assênsio (Mestranda em Ciências Sociais – USP)

Pedro Lopes (Mestrando em Ciências Sociais)

 

 

Desenvolvido em Wordpress
Gustavo T. Santos